terça-feira, 21 de março de 2017

Estão abertas as inscrições para o programa de estágio curricular obrigatório do Projeto Baleia Jubarte!


Prazo para envio da documentação: até 09 de abril de 2017 (23h59min) Após a triagem dos currículos será selecionado um grupo de candidatos para entrevista (telefone, Skype, etc.) e a partir deste grupo selecionado os estagiários da temporada 2017.
COMO SE INSCREVER: Enviar os seguintes documentos para estagio.caravelas@baleiajubarte.org.br · 1 Currículum vitae (com telefone e e-mail para contato) · 2 cartas de recomendação (de professores ou orientadores) · 1 Carta de apresentação (explicando os motivos de seu interesse pelo estágio, se tem preferência por estagiar em alguma das duas bases, e confirmando que tem disponibilidade para estagiar por todo o período).

Clique aqui para fazer o download do edital.

terça-feira, 14 de março de 2017

Brasil, passam os séculos e a piada é a mesma


Greve Geral Nacional da Educação, vamos todos apoiar.


Então é isso Teixeira de Freitas!!!
A sociedade precisa saber o porquê da Greve Geral Nacional dos Professores no dia 15 de março.
É inadmissível que um professor continue dando aulas em salas lotadas, muitas vezes com até 50 alunos por turma, mesmo tendo 65/75 anos. Esta é uma profissão que exige formação constante e muitos trabalham em várias escolas em dois ou três turnos para ter um ganho razoável para sustentar sua família. A reforma da previdência quer acabar com a apos...entadoria especial aos 50 anos. Além disso, o professor que se aposentar aos 65 anos só vai receber 50% da média salarial. Para receber os 100%, ele vai ter que se aposentar compulsoriamente aos 75 anos. Não podemos deixar que isso aconteça. Precisamos do apoio de alunos, pais e toda sociedade neste momento. Se lutamos tanto para alcançarmos uma educação de qualidade com profissionais cada vez mais competentes e preparados, não podemos deixar acontecer este rebaixamento moral pela dignidade dos professores. Sem os professores não haverá construção e transformação social, entendam! Precisamos de UNIÃO neste momento doloroso para a nossa educação. Professor, estamos com você. Pais, apoiem os professores dos seus filhos. Alunos, lutem pela dignidade na educação, pela dignidade de quem trabalha a vida toda pelo seu futuro.
A reforma da previdência é uma vergonha para todos os tralhadores do Brasil, é a migalha, a esmola que o governo quer deixar para o trabalhador que passa a vida construindo o país. Precisamos nos unir, mais do que nunca este é o momento!

Profª Dra. Regiane Souza Neveswww.regianesouzaneves.com.br/biografia.php

Aeroporto das "Conchas", está sendo depredado


 

Em 2016 a população caravelense ficou assustada com tamanha falta de respeito com a construção civil da vila dos oficiais da aeronáutica que é considerada pelos moradores como patrimônio histórico de Caravelas. Vídeos e fotos que repercutiram no Facebook, deixaram muitas pessoas indignadas com a agressão à antiga vila dos oficiais da aeronáutica, cedida para o 11º Batalhão de Engenharia e Construção do Exercito Brasileiro de Araguari – MG, quando estava fazendo a obra da BR-418 também conhecidas como a “Estrada do Boi” ou Rodovia Minas-Bahia. Quem conheceu o espaço antes, não acredita no que vê hoje. A vila dos oficiais foi passada para a administração de Caravelas após o termino das obras do aeroporto e da BR-418 e foi totalmente destruída. Só se ver ruinas, uma cena de filmes de guerra, como uma cidade bombardeada. A vila foi construída na época da Segunda Guerra Mundial.


Como se não bastasse esse fato, mais uma vez o descontentamento dos caravelenses vem repercutindo no facebook com as imagens do muro do Aeroporto das Conchas de Caravelas, reformado também pelo 11º Batalhão de Engenharia e Construção do Exército Brasileiro. Ainda não se sabe se foi ação do tempo, ou se foi algum vândalo que quebrou a mureta da área externa do saguão.

A importância do Aeroporto de Caravelas para a economia local é grande, podendo dar um novo impulso na economia de toda região do extremo Sul. Além das vantagens para os turistas e moradores, o grande porte do Aeroporto pode impulsionar o comércio e valorização dos produtos locais, abrindo um canal até mesmo para a exportação de peixes, frutas e artesanatos local.

O Aeroporto de Caravelas é dotado de duas pistas que se cruzam, devidamente revitalizadas, sendo a pista maior de 1,530 metros e a menor de 1,200 metros, sendo considerado um dos aeroportos que possuem mais potencial da região.

Será que a nossa nova administração, estará pensando em revitalizar o Aeroporto das Conchas, ou vamos ver a ação do homem mais uma vez destruindo a nossa história?
Créditos das imagens Caravelas Pity

sexta-feira, 10 de março de 2017

Editorial publico no Jornal Impresso, edição 81 do Jornal O Samburá, sobre o carnaval de Caravelas 2017


Será que a Cultura e a tradição foram esquecidas?

Todos os anos temos a alegria em noticiar, o belíssimo, cultural e tradicional Carnaval Caravelense. Com suas bandas locais, que fazem a festa acontecer, os   blocos tradicionais, os blocos populares, marchinhas e claro, as já consagradas escolas de sambas, que segundo informações este ano, a verba que era direcionada as escolas caiu em quase 25%, o que dificultou  muito a apresentação das  escolas e quase não sairam na avenida”. Contudo, nossa querida cidade, já tem grandes atrativos para fazer uma festa de  arromba e orgulhar sua população. Mas para tanto é preciso, que os organizadores conheçam nossa historia, nossa cultura e respeito ao seu povo. Pelo que nossa reportagem viu e ouviu pelas ruas da cidade durante este período de carnaval, o respeito passou longe. Nem tão pouco a cultura foi respeitada. Ouvimos de muitos turistas a seguinte frase, “cadê o carnaval de Caravelas?” outros que vieram pela primeira vez se perguntaram: “será que eu e minha família voltaremos nos próximo?” Triste constatação. Por outro  lado vimos um esforço muito grande dos organizadores, para montar uma programação com muitas atrações, inclusive de Salvador, mas, nada que chamassem tanta atenção. Talvez faltasse lembrar daquela velha pratica, “nem sempre quantidade traz qualidade”. Uma das reclamações do público era sobre o horário que em nenhum momento foi cumprido, as      bandas nem se quer sabiam  onde e qual o trio iriam se apresentar. Mas, volto a dizer, era possível vê uma vontade muito grande dos organizadores em fazer o melhor. É, talvez seja esse o ponto, a grande vontade, o desejo de se superar e superar os carnavais anteriores, porém acreditamos que faltou pesquisa, consulta e observação, isso é uma regra básica em qualquer profissão. O achismo não cabe em nenhum meio profissional.
Voltamos a fazer uso das máximas populares, “que os   erros de hoje, nos ensine, a acertar amanhã”.
Contudo, a festa aconteceu, grandes bandas e horas e horas de shows, uma folha altíssima, mas o resultado, regular. Não nos deu nenhuma alegria em  escrever este editorial, sobre o carnaval de 2017 Caravelas. Ficamos na torcida para que o próximo a gente possa ver as tradições de volta, o apoio à  cultura e o respeito a músicos locais e o principal, ao povo  desta querida e histórica cidade. Vejam, histórica!!!

Capa da Edição 81 do Jornal Comunitário O Samburá da Barra de Caravelas/BA


segunda-feira, 6 de março de 2017

Partido de Temer faz terrorismo com os pobres pela Reforma da Previdência, por Leonardo Sakamoto


No blog do Sakamoto

O PMDB, partido de Michel Temer, divulgou nas redes sociais uma campanha em que adota o terrorismo como instrumento para buscar o apoio popular à sua proposta de tungada nas aposentadorias.
”Se a reforma da Previdência não sair: Tchau, Bolsa Família; adeus, FIES; Sem Novas Estradas; Acabam os Programas Sociais”, diz uma imagem como logo do partido. No fundo, a ilustração de uma cidade em ruínas.
A peça de propaganda vem em um momento em que até a base aliada do governo no Congresso Nacional afirma que a reforma, tal como está, não passa. Até porque esse pessoal pretende se reeleger. E no qual líderes de movimentos que foram às ruas pedir o impeachment de Dilma Rousseff também relatam que a proposta tem sido repudiada por quem não aguenta ver a esquerda nem pintada de amarelo.
Ou seja, a campanha é um sinal de preocupação, porque a classe média começou a sentir a água bater nos glúteos.
Estipular uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria (em um país em que trabalhadores braçais de regiões pobres mal tem essa expectativa de vida), com ao menos 25 anos de contribuição (onde a informalidade é grande) e 49 anos para ter pensão integral (considerando que os pobres começam a trabalhar aos 10, 12 anos por necessidade) é reduzir pessoas a estatísticas. Isso sem contar propostas como subir para 65 anos a aposentadoria rural, com 25 anos de contribuição mínima, quando, hoje, basta a comprovação de trabalho no campo para obter a partir de 60 anos (homens) e 55 (mulheres). Ou seja, o sujeito se esfolou em canaviais a vida inteira sem carteira assinada e pode nem ter tempo para desfrutar um descanso.
Não é a primeira vez, contudo, que o PMDB ou Michel Temer usam a chantagem como política de governo.
Em junho do ano passado, Temer afirmou, em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, que ”ou a Previdência Social tem de ser reformulada ou então todos os pensionistas sofrerão.” Uma declaração do tipo: ”ou liberam o que quero ou consigo um jeito de atrapalhar ainda mais a sua vida”. Temos mais opções para além do maniqueísmo e da dualidade rasos. Sempre. Mas querem nos fazer crer que não.
Claro que o PT utilizou-se do mesmo expediente em campanhas eleitorais, abusando do terrorismo sobre o fim do Bolsa Família em um possível governo adversário, por exemplo. E não só naqueles momentos. Por exemplo, em 2007, o então ministro das Minas e Energia de Lula, Silas Rondeau, disse que ou o licenciamento ambiental das hidrelétricas do rio Madeira (Santo Antônio e Jirau) saía ou o governo começaria a procurar outras fontes de energia sujas como a térmica ou nuclear.
O interessante é que Rondeau não escolheu a energia eólica, a solar ou a proveniente da biomassa como opções, o que mostra o padrão de desenvolvimento predatório que reinava no governo Lula. Mas também mostra como são estruturadas essas chantagem de ”ou isso, ou aquilo”, no qual escolhe-se um futuro sombrio feito uma maldição que irá se concretizar se não aceitarmos a luz entregue pelos iluminados governantes.
O que intriga no governo Temer e seu partido é que eles aprovam uma PEC do Teto de Gastos no Congresso Nacional, criando uma emenda constitucional que limita novos investimentos em educação e saúde públicas, entre outras áreas, pelos próximos 20 anos, fazendo com que os mais pobres paguem pela crise econômica com a redução da qualidade dos serviços básicos e, agora, vem chantagear com o corte a programas sociais e educacionais? É muita cara de pau.
Temer poderia optar por outras formulações de frase:
”Ou a Previdência Social é reformulada ou então teremos que fazer um grande debate nacional sobre o tema, buscando ouvir diferentes pontos de vista para desenhar uma Previdência Social que não mantenha distorções e nem beneficie apenas alguns grupos em detrimento ao restante da população, não seja usada como caixa de emergência do governo (para isso, taxe-se dividendos recebidos de empresas, por exemplo, e crie alíquotas maiores aos mais ricos no Imposto de Renda), seja capaz de combater a sonegação por parte das empresas e possa garantir o futuro dos mais pobres e da classe média.”
Mas Michel, provavelmente, nunca falaria isso porque assistiria à chapa Dilma-Temer ser cassada pelo TSE no dia seguinte.
Como já disse aqui, a Previdência Social deve passar por mudanças, claro. O Brasil está mais velho e isso deve ser levado em consideração para os que, agora, ingressam no mercado de trabalho. Mas aumentar a idade mínima pura e simplesmente, ignorando que há trabalhadores braçais têm uma vida mais desgastante que o povo que trabalha em escritório é delinquência social.
A beleza de uma democracia é que, nela, os caminhos deveriam ser discutidos abertamente e as decisões tomadas coletivamente. E se há um buraco a ser coberto, que ele seja socializado – com os mais vulneráveis pagando menos o pato do que os mais protegidos.
Mais do que isso: um programa de reformas profundas só poderia ser adotado se validado eleitoralmente pela população – o que não foi o caso. Ou ser ratificado posteriormente através de um referendo – coisa que não deve acontecer. Afinal de contas, o que vocês pensam que é isso? Uma democracia? Se fosse, não estariam dando ao povo uma escolha: ou aceita a revisão de seus direitos, diminuindo seu alcance e efetividade, ou ficam sem nada.
O problema é que o ”autoritarismo” é como uma ”chantagem”: ambos podem ser lustrados com óleo de peroba para perder o jeito opaco, a dureza e a aspereza. Mas não perdem sua natureza.